terça-feira, outubro 23, 2018

Armistício

Hoje sonhei com o Marechal Foch.
Estava na sala de espera de uma destas modernas clínicas dentárias. Foch chegou, tirou as medidas à sala e olhou para mim durante uns bons dois minutos. Depois, sentou-se a meu lado (a sala estava praticamente vazia) e perguntou-me que horas eram.
- São três e vinte, meu General, disse-lhe.
Foch ainda não tinha sido distinguido com o posto de marechal.
- Está na hora, meu rapaz.

Sim, o momento chegou. Estou pronto para assinar o Armistício com a minha mente.

sábado, outubro 13, 2018

terça-feira, outubro 09, 2018

Colóquio

Acho que foi o G. Grass que disse "eu não sou fiel mas sou dedicado".
Pois bem, eu sou dedicado aos meus humores, aos meus fígados. Durante algum tempo, abafava-os numa bacia escura, metálica, mas essa bacia começou a transbordar. Verpiss dich Freud! Arschloch! 
De qualquer maneira, quero pensar que respeito agora esse lastro de "muddy waters" e ponho-o ao sol a corar. Não, já não barro esse pastoso lastro cinzento com geleia de optimismo ou condescendência para depois se transformar numa coisa intragável e falsa. O pequeno budinha risonho (que não é o verdadeiro Buda , mas não me apetece explicar isso agora) ri-se ainda com mais vontade, mesmo à minha frente.

Outra coisa. O Marx (vou dizê-lo com todos os dentes e próteses, com quase toda a certeza do mundo) e o Lenine eram meninos de coro quando comparados com o Lutero. Pensem.



segunda-feira, outubro 01, 2018

Restos de verão

Na esplanada "Escobar" todos os clientes são especiais.
Mãe e filha estão sentadas duas mesas à minha frente. A filha tenta explicar como funciona o novo smartphone da mãe. Começa todas as explicações com um "Oh mãe" impaciente, mas a mãe tolera-a. A filha tem pernas macias, robustas de ginásio, mas não muito trabalhadas, um celulite residual baila perto das nádegas quando cruza e descruza as pernas. Viajo para longe.
A mãe cinquentona desafia-me com um olhar seco e verde. Não querendo ser vulgar, vê-se que a senhora ainda tem gasolina no depósito para gastar. Não sei se me reprova ou se tem ciúmes. O meu ego incha e vai molhar os pezinhos no mar.
A água está gelada, chega o namorado da filha. Cumprimenta-as. A mãe olha agora para mim com algum gozo enquanto parece desfrutar daquele falso ménage.
Peço mais um fino e um pratinho de tremoços. Finjo ignorá-las e volto ao que não estava a fazer.

Despedida do verão

terça-feira, setembro 25, 2018

"Ah"

Informo-vos que gostaria de estar - neste momento e no momento a seguir - na Bahia Drake, Costa Rica, a beber água de coco enquanto folheava languidamente um livro sobre cultura pré-colombiana.
À falta de melhor, comprei um Jeff Abbott usado, "Colisão", e apostei no território nacional. Dois euros e meio (o livro apenas, viagem e estadia não incluídas).
O livro tinha vários sublinhados e algumas notas na margem a classificar de "giro" e alguns "ah" em certas passagens.
O leitor/antigo dono deste livro deixou de fazer isto ao fim da terceira ou quarta página, talvez porque já não achasse "giro" ou talvez porque tornou-se absurdo sublinhar todas as passagens e avaliá-las com um "ah".
Acho que me enquadro nesse tipo de leitor, o leitor "ah".

segunda-feira, setembro 24, 2018



terça-feira, setembro 11, 2018

Pequeno "cair da ficha"

Realizei-me agora da bipolaridade dos meus últimos textos. Descansem, estou em crer que sou apenas um simples e inofensivo neurótico à procura de algo. Tenho a dizer a meu favor que sou incrivelmente bem-parecido e que funciono bem a quase todos os níveis.
Não, não me considero narcisista (se bem que um narcisista poderia dizer isto), sou antes um grande empata. Empato-me a mim mesmo na maioria das vezes e tenho isso bem presente. Acho que faz parte do meu charme.

Revista Maria

Revista Maria,

Às vezes vou à biblioteca da minha cidade e sou crivado com olhares por parte de uma funcionária quarentona que é muito voluptuosa, muito atraente. Eu devolvo-lhe o olhar mas como sou muito tímido, disfarço folheando um livro qualquer do José Maria Tallon ou "A Bíblia da Menopausa".
Ora isto está cheio de universárias muito bonitas mas que não me interessam minimamente.
Os meus amigos gozam comigo quando lhes contam, não me compreendem.
Serei normal? O que posso fazer para combater a minha timidez? Não sei mais o que fazer.

Obrigado.